Parece que foi hoje

Coruja

Cornélio Procópio - PR

Notícias »

Atualizado em 15-05-2020 às 11:19:06

Ministério Público é acionado após mulher aparecer em live no Facebook prometendo cura para coronavírus no Paraná


Uma mulher de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, apareceu em uma live no Facebook de uma página de notícias locais e prometeu a cura do coronavírus (covid-19) com uma receita divina.

A fake news provocou reações da Secretaria Municipal de Saúde, que encaminhou denúncia crime contra mulher ao Ministério Público (MP).

A administração do município diz estar preocupada com uma possível intoxicação da população, caso resolvam seguir as indicações falsas de cura.

A receita divulgada incluía água clorada, água oxigenada e vinagre, que deveriam ser ingeridos após uma mistura de quantidades específicas.

Segundo o administrador da página de notícias Piraquara News, Daniel Pinheiros, a mulher, que se dizia naturalista das ervas, o procurou afirmando que tinha dicas importantes para auxiliar a combater a nova doença.

“Não imaginava que ela iria dizer tudo o que disse”, explicou o dono da página. O vídeo da live foi retirado do ar na tarde de quarta-feira (13). Mesmo assim, por um aplicativo de mensagens, o trecho da live em que ela diz que a receita veio de Deus se tornou meme.

A preocupação da Secretaria de Saúde é que a informação se espalhe e prejudique as pessoas. De acordo com a secretária Gláucia Buss Guimarães, a orientação é que as população procure somente as fontes oficiais para se consultar sobre o coronavírus.

“A própria prefeitura de Piraquara disponibiliza um site para esse tipo de busca (www.piraquara.pr.gov.br/coronavírus). Há também o disque Covid para o orientação sobre sintomas (3590-3722)”, explicou.

A prefeitura informou que acionou o Ministério Público assim que soube do conteúdo da transmissão da live.

A prática do curandeirismo é considerada crime contra a saúde, pelo Código Penal Brasileiro.

Nunca as fakes news foram tão perigosas quanto agora, na pandemia do coronavírus. São mensagens de toque de recolher, decretos do governo que não existem, curas milagrosas do covid-19, relatos de pânico nos hospitais e outras.

Mais do que nunca, é preciso ter muito cuidado no que se compartilha nas mídias sociais para não piorar ainda mais a situação na pandemia. E vale ressaltar. Criar ou propagar notícias falsas na internet pode configurar crime.

“Hoje ainda não existe uma legislação tipificando a fake news em si como um crime. Mas o que acontece é que a fake news se enquadra em outros crimes, como difamação, calúnia ou até mesmo crimes contra a vida e a saúde”, explicou o advogado Guilherme Guimarães, especialista em direito digital, que colaborou na redação do Marco Civil da Internet, promulgado em 2014.

(Tribuna do Paraná)



comente esta matéria »